Resiliência, a arte de resistir !

Olá,

Falemos sobre a Resiliência, termo estranho, saberão ao final deste artigo que em tempos de crise, o profissional “resiliente” é, e será cada vez mais valorizado no mundo corporativo. Dito isto sigamos, resiliência antes de mais nada é um conceito da física, utilizado primeiramente pela engenharia que se refere a capacidade de um material sofrer tensão e recuperar seu estado normal, quando suspenso o “estado de risco”.

No campo das relações humanas, pode ser compreendido como um processo que excede a simples superação de experiências, já que permite ao indivíduo humano sair fortalecido por elas, superar, o que necessariamente promoveria a saúde mental. O termo Resiliência, apesar de guardar uma discussão gigantesca a respeito de sua definição, vem sendo consensualmente utilizado como a capacidade humana para enfrentar, vencer e ser fortalecido ou transformado por experiências de adversidade, trocando em miúdos “corporativos” é a capacidade que o profissional tem de se recuperar quando enfrenta grande pressão, seja pessoal ou profissional.

Tem sido utilizado em psicologia como a capacidade humana de enfrentar adversidades sucessivas ou acumuladas, com o mínimo de disfuncionalidade para o desenvolvimento, agindo com equilíbrio no pensar e no agir. Em tempos de crise e recomeço, para muitos que enfrentam inundações, terremotos, listas de demissão, depressão, etc.

Estes dias assistindo a uma reportagem sobre a catástrofe ocorrida na região serrana do Rio de Janeiro, minha cidade natal, uma repórter entrevista um homem sobrevivente que perdeu 17 membros de sua família, isso mesmo eu disse, 17 (DEZESSETE) pessoas que amava e faz a mesma pergunta previsível de qualquer repórter de “tragédias”, e lança sem piedade:

– O que o senhor vai fazer agora? Perdeu todos os seus bens e grande parte da família, o que espera do futuro? Nesse exato momento este senhor levanta a cabeça, encara a repórter e responde, ainda balbuciando em lágrimas, – “Minha filha vou recomeçar, mas antes preciso me RECONSTRUIR, recriar minhas raízes, pois todas foram levadas pelas águas”.

Meus amigos leitores, não há melhor definição para RESILIÊNCIA do que essa, a capacidade de adaptação ou de recuperação. Uma atitude resiliente significa ter uma conduta positiva apesar das adversidades, ou seja, soma-se à resiliência a capacidade de construção positiva, superação, re-significação dos problemas, da abordagem face aos problemas diários e da flexibilidade cognitiva. Este constructo apesar de atual, nas ciências humanas não é apenas um fenômeno individual, pode ser grupal, institucional, comunitária e por que não empresarial e mercadológica. A resiliência é ativada, sim é ativada e pode ser desenvolvida, pois é uma característica INERENTE a qualquer ser humano, e desencadeia um processo positivo de construção, através da vivência das pessoas, instituições ou empresas.

Fatores como: alcançar resultados positivos em situações de alto risco, manter a competência sob ameaças (O assédio Moral) e no caso de empresas, a ataques de concorrentes ou enfrentar situações inesperadas revertendo-as a seu favor, são como se recuperar de traumas. Olhando por toda esta ótica, o indivíduo não apenas carece e adoece , mas é capaz de procurar seus próprios recursos e sair fortalecido das adversidades, usar os obstáculos em seu próprio favor e benefício. Procurem lembrar nestes momentos “Under Pressure” o ditado que diz “Mar calmo não forma bom marinheiro”.

A resiliência ou resilência, como preferirem,  não pode ser confundida com invulnerabilidade, ninguém é super-homem, todos caímos, todos erramos, todos nos abatemos, mas TODOS tem a capacidade de LEVANTAR, de RECOMEÇAR. Vou me permitir parodiar Kathleen Norris quando disse “A vida é mais simples do que a gente pensa, basta aceitar o impossível, dispensar o indispensável e suportar o intolerável.

Viva, recomece, você é único, não faz o que lhe dá prazer? MUDE! A empresa não lhe dá o valor necessário? MUDE! É preciso coragem e muita Resiliência, diariamente, do despertar ao adormecer, e SE ao final de tudo, sua canoa virar, nade e procure a margem mais próxima, recomponha-se e continue sua jornada, porque a solução, mais uma vez está dentro de nós!!

Abraços a todos e até a próxima!
Marcelo Ramasine

Anúncios
Publicado em Valores Humanos | 3 Comentários

Tropa de Elite – Os Gerentes, qual deles você é?


Recentemente em conversa com um amigo no Brasil, ele me fala:

– Desculpa Marcelo, estava falando com o Gerente, que pessoa insuportável!

Prestaram atenção a afirmação acima?

Qual de nós ainda não esteve sob a tutela de um Gerente de TI, Team Leader ou outros “seres” com nomes que lhe são dados, porque eles os tem as vezes pomposos, ou até mesmo difíceis de compreender, e muitas vezes, suas funções não são claras e muito menos exercidas da melhor forma.

Se você é um Gerente, espero que faça o melhor proveito deste artigo, e repense  seus atos e atitudes junto aos seus “gerenciados”.

Se você é um gerenciado, atente para as questões aqui colocadas, elas irão lhe ajudar, mais cedo ou mais tarde!

Como ferramenta de auxílio ao entendimento do que aqui será dito, usarei o filme Tropa de Elite 1, fazendo algumas referências a seus personagens e passagens, tentando traçar um paralelo com a atual realidade corporativa que vivemos. Se não viu o filme, assista, depois volte aqui e leia o artigo..;-)

E nossa aventura começa com o Gerente 02 (Não tem medo de altura e adora nos usar como verdadeiros degraus para sua ascensão profissional), este tipo está sempre tentando subir os “morros” na frente do 01, mas é sempre ele que leva o corpo do “dono” para baixo. De todas as formas a sua atenção não vai estar voltada aos seus gerenciados e sim em seu Diretor, esse, o 01, aquele que poderá lhe dar forças para que sua ambição/aspiração a ao posto/cargo lhe sejam favorecidas.

O Gerente 02 nem sempre usará os meios mais lícitos para chegar a sua meta, usa seus gerenciados para “pular” degraus, ganhando pontos e assumindo méritos que não lhe pertencem, se a empresa for realmente séria, assim como os criminosos, a vida do gerente 02 será curta e, como saída, pulará de empresa em empresa até achar um 01 disposto a lhe entregar o fuzil, missão dada é missão cumprida!! Se você lida com seus subordinados desta forma, sugiro repensar seus meios e reconsiderar que características como, motivar sua equipe, dar o exemplo e acima de tudo ser respeitado e não “temido”, naturalmente o fará chegar ao posto de 01. Pense nisso!!

Abordemos agora o Gerente Fanfarrão (Amanhã todos cedo heim? E ele..? Chega depois do almoço!), um tipo facilmente identificado, principalmente pela diferença brutal entre o que ele faz e o que ele diz! Conheci uma pessoa assim, certa vez nosso gerente nos pediu para chegar mais cedo que o de costume, pois o diretor (01) estava pedindo, existia demanda de trabalho na janela compreendida entre às 8 e 9hs, até aí tudo bem, não? Acontece que este mesmo “gerente” jamais cumpria seus horários, quase nunca podíamos contar com ele nas reuniões com o cliente, se marcássemos compromissos as 14hs, ele chegava as 16hs..se não bastasse, o Fanfarrão gosta de aparecer, de todas as formas, ele é que lhe pede para preparar um relatório e justamente na hora de apresentar, pede para você o fazer, e diz:

– Vai lá, qualquer coisa eu te apoio daqui!

Ele é o que, em uma reunião técnica interna na equipe, faz questão de estar presente e na hora da reunião com o cliente, quando confrontado, passa a bola para você, sem um pingo de remorso. Isso já aconteceu comigo, fizemos uma reunião interna para planejar um projeto de reestruturação de um Centro de Processamento de Dados, nosso gerente estava nesta reunião, deu algumas opiniões “meio vazias”, sugeriu que ele apresentaria e defenderia o projeto, pois bem, na hora exata da abertura da reunião, ele diz:

– Gostaria de começar falando um pouco sobre nosso projeto, ele vai reestruturar completamente o CPD, trará melhorias significativas na forma de segurança, desempenho e qualidade, nesse exato momento o representante do cliente dirige-se a ele e faz a seguinte pergunta:

– Como esse projeto poderá reduzir nossos custos de energia e segurança? E ele responde:

– Já prevendo que vocês iriam abordar esse tema, chamo aqui o “fulano” para nos brindar com a explicação que o senhor precisa! Só que o “fulano” não preparou nada, nada havia sido combinado na reunião interna da equipe, mas o fanfarrão sabe que tecnicamente o seu recurso poderia dar conta, e o envolve de forma direta, bem como, muitas vezes, o responsabilizando pessoalmente pelo projeto.

Resumindo, este tipo de gerente cresce as custas dos seus gerenciados, mais uma vez é preciso lembrar que quem se candidata a líder, gerente, team leader, ou seja lá que alcunha possuir, tem que saber do que fala, mesmo que minimamente, para não comprometer a própria equipe, se a reunião possuir caráter técnico, estude o assunto e esteja ao lado e não atrás de seu gerenciado, não faça dele o seu escudo.

Todos os bons “Gerentes” que tive até hoje, tomaram as cacetadas “que vêm de cima” primeiro, para depois, internamente procurar saber o que ocorreu e, se for o caso, responsabilizar quem quer que seja.

E aí surge o Gerente 08 (Nunca está na hora que precisamos dele), alguém lembra do 08?? Quando é solicitado, não comparece, não assume responsabilidades, mesmo antes de tentar, mas também não “PEDE PARA SAIR” …!! Porque até para isso é preciso coragem, você sabe que o 08 existe, mas raramente o vê pelos corredores da empresa, e quando vai em sua direção, muda a rota rapidamente, esses não foram ou não quiseram ser preparados para esta posição, culpa até mesmo da própria empresa, FORMAR LÍDERES É UMA ARTE e além de tudo é muito, mas muito complicado!

Calma, calma, nem tudo está perdido, agora vamos falar do Gerente “Capitão Nascimento”, e vamos ver bem quantos deste você conhece ou conheceu!

Esse é o tipo que sobe o morro na frente, chega primeiro que todos e vai embora por último, o que se faz de escudo de sua equipe, sem paternalismo barato, protege seus gerenciados até que se prove que a culpa do possível problema, foi mesmo originado ou provocado por um dos “seus”. O que vemos muitas vezes é na hora das decisões importantes, um membro da equipe é consultado sobre qual é o melhor caminho a seguir, e uma simples posição a respeito de algum problema é tomada como verdade, e se a posição/opinião apontada não resolver o problema a culpa é de quem indicou o caminho e se der certo, o mérito é do “Gerente”, ainda vejo muito isso acontecendo.

Cuidado com o que diz, porque poderá ser usado contra você..rs…

O Gerente “Capitão Nascimento” procura conhecer, mesmo que minimamente, da parte técnica, estuda e procura estar atualizado, se precisar usar o fuzil, ele vai usar, se precisar desmontar, ele vai fazer, porque ele dá o exemplo! Sabe elogiar na hora certa, lembra do “Fatiou, passou..muito bem 02”, incentive sempre sua equipe a seguí-lo, inspire-os e os transmita confiança.

Se é ou pretende ser um verdadeiro líder, hoje aqui usamos o exemplo do Gerente, tente seguir algumas regras de ouro:

– Jamais chame a atenção de um membro de sua equipe na frente de todos os outros, lembre-se, repreensão em particular e elogio em público!
– Seja o escudo de sua equipe, defenda-os até onde puder e seus poderes alcançarem, assuma posição;
–  Dê o exemplo, se cobrar horário, seja o primeiro a chegar!
– Seja amigo dos seus gerenciados, permita que até, estas relações ultrapassem as fronteiras da empresa, eu tomo chopp (Imperial) com alguns que me lideraram até os dias de hoje!

E por fim, um diferencial, SEJA HUMANO, o humano erra, falha e ADMITE, mas tem a capacidade de se recuperar e aprende sempre com seus erros.

O que tenho visto nas relações humanas hoje, em todos os campos do conhecimento e comportamento, é que as pessoas aprendem primeiro a TER e se esquecem de SER, em muitos casos me deparei com liderados que consideravam seus líderes quase como pai/mãe, tal o nível de respeito e admiração que possuíam!

Aprenda a ser Líder de si mesmo, porque aí reside a tarefa mais difícil, quando esta etapa for vencida, estará pronto para LIDERAR!

E você, se enquadra em qual perfil, 02, 08, Fanfarrão ou Capitão Nascimento?? Se você é gerenciado, certamente já viu alguns deles, se você “está” Gerente, procure sempre o último perfil!! 😉

Espero que tenham apreciado! Por sugestão de um grande amigo, estaremos abordando um assunto muito interessante no próximo artigo, O Assédio Moral!

Até mais ver e lembrem-se…Missão dada é missão cumprida!!

Marcelo Ramasine
Instituto Reaprender de Valores Humanos

Publicado em Valores Humanos | 3 Comentários

O Sol que brilha após a curva!

Vinha eu dirigindo meu Peugeout 307 SW, por sinal belo carro, que precisa de uns ajustes, no final do artigo entenderão o que digo, pela auto-estrada que liga Cascais a Lisboa. Normalmente eu e minha esposa saimos mais cedo, pois o tráfego é intenso após as 8:00 da manhã, e porisso sempre saíamos ainda de madrugada, quando o SOL ainda não havia nascido.

Essa semana, chegamos ao horário de inverno Europeu e atrasamos os relógios em 1 hora, e para nós foi bom, pois ao sairmos já está claro. Especialmente hoje saia para trabalhar com minha esposa com a cabeça em desalinho, perturbações e inquietações, afora o ritmo do meu trabalho que é quase alucinante, vinha pela auto-estrada pensando em todos estes problemas já pela manhã, o que não é bom, pois já começamos o dia pré-ocupados desnecessariamente e me vi nesta situação, até que, em uma das curvas da auto-estrada surgiu ENORME e mais brilhante do que nunca o SOL, astro Rei, minha vista é muito sensível, pois tenho olhos claros, quase não aguentou a intensidade daquela luz , que irradiava a TUDO e a TODOS.

Em fracções de segundo e na medida das possibilidades que aquele momento me permitia eu tentei esvaziar minha cabeça de todas as pré-ocupações que nela existiam, e meditei sobre a luz que atingia minha face, olhei para o lado e reparei que esta mesma luz, deixava o semblante de minha esposa ainda mais bonito, não havia naquele momento sombra que não fosse desfeita pelo brilho intenso que presenciávamos, a magnitude era tal, que  após a curva os carros abrandavam a velocidade.

E naquele momento pude perceber que este astro sobre o que vos falo brilha para todos, o que está preocupado com o trabalho, o que está pensando em tirar a própria vida, ontem mesmo interceptei a mensagem de email de um que pensava cometer tal acto, o que está preso, o que não consegue fazer a contento o tunning de suas queries, o que não consegue medir tão bem a performance dos seus bancos de dados, o que acha que não é capaz, seja do que for, nossa vontade limita nossa capacidade, brilha sim, para aqueles condenados pelos médicos, mesmo os que tem horas, dias ou meses de vida, brilha para o que desistiu, dando o exemplo maior de renascimento, pois todos os dias ele está lá nos iluminando, mesmo nas maiores tempestades.

Todos temos estas curvas em nossas vidas, e não sabemos o que esperar do outro lado, então obrigatoriamente é preciso ultrapassá-las para ver o SOL!!

Vencer nossos medos, o medo da doença, o medo da perda, o medo da incapacidade, o medo de simplesmente seguir em frente, o medo de ser feliz, o medo da queda, o medo da chuva, como dizia o já saudoso Raul Seixas, e acima de tudo o medo de nós mesmos, esse sim o mais difícil de ser vencido! O Sol a que me refiro esteve nos acompanhando em todo o trajeto, até o trabalho, até a porta, como se fosse nossa babá ou nosso guia, e percebia naquele momento, que havia chegado ao meu destino, que o caminho havia sido percorrido, com muitas preocupações no início, mas todas “desmanchadas” pela luz.

Todos nós temos problemas, uns mais outros menos, de características diferentes, o que realmente importa é como lidamos com eles, hoje aprendi uma lição, a de que o sol sempre brilha, essa frase é velha e já muito batida, mas foi ressignificada hoje em mim, e que possa ser para você também!

Como diz parte da música que adoro, de Simon & Garfunkel,
“Bridge Over Troubled Water” …….your time has come to shine, and all your dreams are on their way!! Vá lá e traduza para o português!

Desejo um bom dia de trabalho, uma boa e produtiva semana, uma renovada vontade na busca de seus objectivos, um redobrado esforço na busca do emprego ou vaga tão sonhada, ela está lá, acredite e prepare-se, pois para que possamos fazer uma boa curva é preciso haver aderência dos pneus, que se mantém através de nossa esperança no amanhã, é preciso que o motor responda para que a curva seja feita na velocidade correcta, cuide de sua saúde ela é fundamental, é preciso que as rodas estejam alinhadas e balanceadas, alinhe seu pensamento, é ele que dirige nossa vontade e nossos actos, e por fim verifique seu cinto de segurança, acredite você ou não, algo maior do que você vai o ajudar a fazer sua curva, se você fizer a sua parte.

Que a sua estrada seja sempre acompanhada por este SOL que brilha queiramos ou não, o mesmo que brilhou para mim hoje!

Quis compartilhar este artigo com todos, pois se foi importante para mim, certamente o será para mais alguém!!

Até mais ver!

Marcelo Ramasine

Publicado em Valores Humanos | 6 Comentários

Desmotivando a Formiga – Amanhã ela pode ser você !

Todos os dias, a formiga chegava cedinho ao escritório e dava duro no trabalho.,quantas “formigas” conhecemos? Era produtiva e feliz. Seu líder, o gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão, existem ainda hoje Gerentes, Team Leaders e tantos outros como nomes as vezes até difíceis de pronunciar, que estranham o fato de sermos independentes em nossas atitudes. Se ela era produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada, não há erro aqui  no enfoque do gerente marimbondo., mas todos sempre querem mais e mais. E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios , não ouso dizer até aqueles belíssimos em PowerPoint, muitos dignos de uma premiação por design, e tinha muita experiência, como sua supervisora.

A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga. Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas, muitas vezes aí é que começa o problema, em uma análise simples de “Metodologia de Processos”, vê-se muitas vezes que, em um setor de 10 pessoas, bastavam apenas 5 para se fazer todo o trabalho, lembremos de ITIL, COBIT..e acima de tudo do Eficaz Gerenciamento de Processos!

O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata (PowerPoints de arrasar) e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostrados nas reuniões. Ah!! As reuniões, apenas uma observação sobre elas.

Convém lembrarmos de alguns aspectos que, sem dúvida, comprometem de forma significativa o desenrolar de uma reunião que se propõe a ser produtiva, posso dizer sem medo algum de errar que mais de 70% das reuniões que estive presente foram improdutivas:

Sua necessidade real – pode ser substituída por outra forma de decisão?
Seu objetivo – há clareza quanto o que se pretende com este tipo de instrumento?
Sua finalidade – para que serve? O que vai trazer de valor agregado ao processo produtivo?
Sua oportunidade – em relação ao tema a ser discutido, o momento é o mais adequado, há disponibilidade dos interessados (com representatividade para participar da reunião).
Seu custo – o benefício gerado pelo evento justifica o investimento inicial – tempo, valor hora dos envolvidos, recursos?
Ocorrência – qual o melhor local para se efetivar?
Qual a disponibilidade de espaço que otimize o conforto e a liberdade dos decisores?

Se as questões acima forem respondidas de forma satisfatória, não havendo dúvidas que comprometam o resultado, acreditem, a reunião do gerente marimbondo foi produtiva!

A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida.

Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a ficar perdida no meio de toda aquela movimentação de papéis e reuniões, o que era motivação começa a se transformar em desmotivação.

O marimbondo concluiu então que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava. E quem não sente medo dos Gestores quando eles chegam? Com seus Blackberry atômicos e turbinados alimentados por planilhas quadridimensionais, contendo dados e metadados sobre a produtividade da formiga, desde seu primeiro dia de trabalho. Será que alguém vê alguma similaridade com a Lei criada por Michael Oxley e Paul Sarbanes??

O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial e é claro, UM SUPER BLACKBERRY !!

A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento, vulgo Budget, para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais triste.

A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer um estudo de clima. Mas, o marimbondo, ao rever as cifras, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação. Esta sim, trouxe uma das soluções mais prestigiadas nas corporações atuais, a alocação de custos baseadas nas atividades exercidas, desde a impressão de uma folha até a entrega de uma mercadoria, TUDO TEM SEU CUSTO e todos os setores devem gerenciá-los da melhor e menos onerosa forma, alguém aí já viu isso, tenho certeza! rs

A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía: “há muita gente nesta empresa”. E poderia ser diferente?

Foi então que o Líder marimbondo decidiu demitir a formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida…!!

Moral da História: Cuidado com os “Gerentes Marimbomdos”, eles estão por toda parte,  e muitas vezes o que para você é simples e eficaz, para eles, muitas vezes não!

“A riqueza é o produto da capacidade humana de pensar.” – Ayn Rand

Referência Autor: Marco Fabossi
Adaptação:            Marcelo Ramasine

Após três carteiras profissionais cheias e algumas décadas entre liderados e lideranças, aceito as modernas estatísticas de demonstram que uma empresa, no Brasil, com 100 funcionários, perde aproximadamente R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) por ano em reuniões ineficazes ou improdutivas. Imaginem então se extrapolarmos esta ineficiência para além das paredes das salas de reuniões. É por isso que o Líder precisa estar mais perto de seus liderados, conversar com eles, entendê-los, orientá-los, ouvi-los e inspirá-los para que se sintam motivados a participarem da equipe e buscarem o melhor para a organização. Só assim será possível construir um ambiente onde o alto desempenho e resultados/metas são valorizados, e onde o ser humano é prioridade…afinal o principal capital de uma organização é o seu funcionário!

Artigo e comentários enviados por Horácio Ramasine!

Publicado em Valores Humanos | Deixe um comentário

Você tem MEDO do seu chefe?

Você tem MEDO do seu chefe?

Estou na empresa atual há 1(um) ano, desde o início percebi claramente a já famosa Liderança imposta pelo medo!
Recentemente solicitei a minha chefia que trocasse o meu horário para mais cedo, pois desta forma daria combate aos problemas de forma
mais direta e acima de tudo mais tranquila, pois o telefone não toca e a paz interna e externa ainda dá seus sinais. Ainda vamos falar sobre
meditação e concentração no trabalho, é incrível e funciona mesmo, bom mas voltemos ao tema. Como trabalho em uma instituição que provê serviços
ao setor bancário de Portugal e este mesmo serviço precisa ser 24×7, ou seja, sem interrupção, os nervos sempre andam a flor da pele, certo dia
depois de uma destas paradas do “sistema” uma figura diferente adentrou o recinto, quando digo diferente, resumo em aproximadamente 130 kg de peso com
no máximo 1 metro e 50 de altura e com um olhar altamente penetrante, resumindo, apenas pela sua aparência já INSPIRAVA medo..sinceramente? acho
que seu IMC já ultrapassar os 40..e o grande DETALHE disso tudo é que, este que aqui vos fala, não conhecia o perfil de liderança desta senhora Diretora
e fui dado a conhecê-lo da pior forma…!! A crise já estava instalada, e  repentinamente vem esta senhora, será que vocês lembram do filme Jurassic Park, quando a vibração dos passos do T-REX refletia no copo de água? Pois bem, vi a mesma coisa no meu copo, fechem os olhos e imaginem a cena, o silêncio irrompeu todo o ambiente, seus passos encobriam o barulho de nossos batimentos cardíacos, o sistema nervoso central inicia
a liberação de adrenalina, enfim..tudo muda…até os semblantes mudaram, todos viraram os olhos para baixo, na já tradicional posição de submissão, só faltaram as mãos para trás, acho que todos viram o filme pois ninguém fez movimento e assim ELA não poderia acertar ninguém!!

Seus gritos e brados quase estouraram meus tímpanos, seus palavrões, é isso mesmo, aqui em Portugal é uma coisa meio normal quando as energias ficam pesadas, pois bem como era novo na estrutura continuei o meu trabalho de forma normal, para que entendam o que se passou um colega deveria ter carregado um arquivo para dentro de uma aplicação, e o fez só que não da forma que esta senhora esperava. venho de uma família que geralmente
não leva desaforos para casa e muito menos desrespeito, ao bradar com o colega todos, absolutamente todos não reagiram, apesar de saberem que ele fez a coisa certa, e para sorte ou azar meu conhecia, a nível técnico, o que ele estava fazendo.

Então depois de ouvir 5 minutos de gritos levantei meu braço, só este ato já alterou a realidade, nesse momento me senti o NEO de Matrix desafiando o Agent Smith, todos os olhares se voltaram para mim, inclusive o DELA, e a perguntei o que estava errado, pois o arquivo já estava onde era suposto e a aplicação estava funcionando normalmente, seus gritos nesse momento pararam, pois minha pergunta foi simples, racional e
acima de tudo lógica, para que despender energia em algo que já está resolvido? Ainda complementei, com todo o respeito e subordinação que esta senhora merecia, que
não havia sido feito da forma como pediu, mas estava funcionando, que é o que conta no final sempre! No momento em que me pronunciei, o meu colega,
este que foi o primeiro alvo, concordou comigo se pronunciando também e aí não houve forma, pois se um é pouco, dois é bom demais..! rs

Esta senhora imediatamente se retirou, não sem antes dizer, que da próxima vez quer as coisas não fossem feitas a forma dela, cabeças iriam rolar…! Esta é a reafirmação de seu status de Líder e que ela não poderia, naquele momento, de marcar seu território, assim como fazem os machos e as fêmeas dominantes do mundo animal.

O que se deve lembrar é que depois deste dia, ela já me trata de forma diferente, menos agressiva, mas sempre desconfiada.

Alguns aspectos importantes que devem ser colocados:

– O Líder que pretende exercer seus domínios usando o MEDO, geralmente é uma pessoa altamente insegura e com MEDO de perder seu território.
– Nunca vale a pena o confronto, mas a argumentação bem embasada tecnicamente e de acordo com os princípios da empresa, deve sempre ser realizada.
– Procure com bom-senso, quebrar as regras tradicionais de hierarquia, o bom líder jamais se distancia de seus colaboradores. Principalmente no Japão,
o Presidente da empresa toma café diariamente com seus funcionários.
– Gritos e brados não tem efeito se você tem a razão, então ARGUMENTE!
– A verdadeira liderança se dá pelo RESPEITO e não pelo MEDO, pense bem nisso.
– Inspire seus colegas com atitudes positivas e encorajadoras, isso os fará seguros ao seu lado.

Para terminar lembro-me de uma história que meu Pai, que é terapeuta conferencista ( Depressão e Tratamento ) me contou da grande alma, Mahatma Gandhi. Em certa altura uma mulher o levou seu filho ao ashram, local onde Gandhi descansava, e educadamente o interpelou para que ele lhe ajudasse a fazer com que seu filho parasse de comer açúcar, pois isso o estava lhe tirando a saúde, Gandhi ergue seus olhos em direção a mãe aflita e diz:       – Volte daqui a 1 semana! Mesmo sem entender ou mesmo compreender tal atitude, a mãe respeitou a decisão da Grande Alma (tradução literal do termo Mahatma), e foi-se embora, dali a uma semana volta a mãe com seu filho e dirige-se novamente a Gandhi, depois
de conversar mansamente e receber as orientações necessárias a mãe não se deteve e pergunta a Gandhi porque é que lhe pediu que voltasse em 1 semana, e a grande alma respondeu com absoluta tranquilidade e sabedoria:

– É que há uma semana, EU ainda comia açúcar!

Lembre-se, EXEMPLO é tudo!

Obrigado e até o próximo artigo
Marcelo Ramasine

Publicado em Valores Humanos | Deixe um comentário

O Desafio de Liderar!

Os nossos tradicionais dicionários traduzem a palavra LÍDER como o indivíduo que GUIA, CHEFIA, COMANDA E ORIENTA, ou seja, o verdadeiro líder deve saber a medida exata entre apontar o caminho, dar credibilidade a esta decisão e finalmente ser o PRIMEIRO a direcionar os passos nesta nova estrada. Em meus 15 anos de carreira conheci apenas dois profissionais que alcançaram estas características reunidas e todos eles até hoje são EXEMPLOS e INSPIRAÇÃO para seus liderados. Umas destas pessoas a que me referi anteriormente disse-me certa vez – Marcelo, o verdadeiro líder forma outro líderes, e além de tudo não se auto-reconhece como tal, mas sim é RECONHECIDO, sem que faça força para que isso aconteça. Prestaram atenção no que foi dito acima? Formar outros líderes em um mercado tão competitivo é quase um paradoxo, pois necessariamente para reconhecer um outro talento possivelmente maior do que o seu, precisa haver necessariamente HUMILDADE, e esta característica define o verdadeiro LÍDER!

Quando falamos em que o verdadeiro líder forma outros líderes, falamos necessariamente em compartilhar conhecimento, dividir o SABER e o contrário disso ainda é realidade em muitas e muitas empresas. Para comprovar o que digo cito um exemplo, recentemente no projeto onde trabalho existe uma pessoa que reúne todas estas características, quando sai de férias é um DESESPERO, pois existem tarefas que só ele sabe fazer e não compartilha com o restante da equipe, neste caso específico acho que já é patológico.

Pois bem, a empresa contratou mais dois funcionários apenas para absorver de todas as formas possíveis o conhecimento deste indivíduo, eu o chamo particularmente o HOMEM DE PANDORA “nas internas”..rs

A Gestão de Talentos e acima de tudo a Gestão do Conhecimento já são considerados itens imprescindíveis no plano estratégico das corporações, identificar os talentos é necessário, mas retê-los, por vezes, é uma tarefa inglória, especialmente quando se investe em formações, cursos, workshops e depois disso tudo, citando o Capitão Nascimento, o cara pede pra sair!! Se o maior capital de qualquer empresa é o conhecimento, isso é o que chamo de capital móvel!!!

Ousaria contrariar Napoleão Bonaparte, e altero o “dividir para conquistar” pelo “una para vencer”, uma equipe coesa, alinhada e inspirada pelo seu líder é imbatível em todos os aspectos, e jamais se esqueça que antes de atribuir uma tarefa ao seu liderado, certifique-se que você mesmo seja capaz de cumprí-la, isso é dar o EXEMPLO!

Eespero que tenham gostado, em breve falarei mais a respeito da Liderança motivada pelo Medo, com um caso bastante peculiar!

Para terminar este artigo uma história, já conhecida certamente por alguns, mas que inspirou em minha carreira e me ajudou a chegar onde estou hoje, quem sabe não sirva para você também?

Abraços
Marcelo Ramasine
Visite: Instituto Reaprender de Valores Humanos

Texto: Eu posso fazer mais do que isso!

A mãe, com apenas 26 anos, parou ao lado do leito de seu filho de 06 anos, que estava morrendo de leucemia.
Embora o coração dela estivesse pleno de tristeza e angústia, ela também tinha um forte sentimento de determinação.
Como qualquer outra mãe, ela gostaria que seu filho crescesse e realizasse seus sonhos.
Agora, isso não seria mais possível, por causa da leucemia terminal.
Mas, mesmo assim, ela ainda queria que o sonho de seu filho se transformasse realidade.
Ela tomou a mão de seu filho e perguntou:
– Billy, você alguma vez já pensou o que você gostaria de ser quando crescer?
Você já sonhou o que gostaria de fazer com sua vida?
– Mamãe, eu quero ser um bombeiro.
A mãe sorriu e disse:
– Vamos ver se podemos transformar esse sonho em realidade.
Mais tarde, naquele mesmo dia, ela foi ao corpo de bombeiros local, na cidade de Phoenix, Arizona, onde se encontrou com um bombeiro de enorme coração, chamado Bob. Ela explicou a situação de seu filho de 6 anos, seu último desejo e perguntou se seria possível ele dar uma volta no carro dos bombeiros em torno do quarteirão.
O bombeiro Bob disse:

– Veja, NÓS PODEMOS FAZER MAIS QUE ISSO!

Se você estiver com seu filho pronto às sete horas da manhã, na próxima quarta-feira, nós o faremos um bombeiro honorário por todo o dia. Ele poderá vir para o quartel, comer conosco, sair para atender as chamadas de incêndio e se você nos der as medidas dele,
nós conseguiremos um uniforme verdadeiro para ele, com chapéu, com o emblema de nosso batalhão, um casaco amarelo igual ao que vestimos e botas também.
Eles são todos confeccionados aqui mesmo na cidade e conseguiremos eles rapidamente.

Três dias depois, o bombeiro Bob pegou o garoto, vestiu-o em seu uniforme de bombeiro e escoltou-o do leito do hospital até o caminhão dos bombeiros. Billy ficou sentado na parte de trás do caminhão, e foi levado até o quartel central. Ele estava no céu.
Ocorreram três chamados naquele dia na cidade de Phoenix e Billy acompanhou todos os três. Em cada chamada ele foi em veículos diferentes: no caminhão tanque, na van dos paramédicos e até no carro especial do chefe do corpo de bombeiros.
Ele também foi filmado pelo programa de televisão local.

Tendo seu sonho realizado, todo o amor e atenção que foram dispensadas a ele acabaram por tocar Billy, tão profundamente que ele viveu três meses mais que todos os médicos haviam previsto. Até que numa noite, todas as suas funções vitais começaram a cair
dramaticamente e a enfermeira-chefe, que acreditava no conceito de que ninguém deveria morrer sozinho, começou a chamar ao hospital toda a família. Então, ela lembrou do dia que Billy tinha passado como um bombeiro, e ligou para o chefe e perguntou se seria possível
enviar algum bombeiro para o hospital naquele momento de passagem, para ficar com Billy.

O chefe dos bombeiros respondeu:

– NÓS PODEMOS FAZER MAIS QUE ISSO!

Nós estaremos aí em cinco minutos, e, faça-me um favor, quando você ouvir as sirenes e ver as luzes de nossos carros, avise no sistema de som que não se trata de um incêndio.
É apenas o corpo de bombeiros vindo visitar, mais uma vez, um de seus mais distintos integrantes. E você poderia abrir a janela do quarto dele? Obrigado!

Cinco minutos depois, uma van e um caminhão com escada Magirus chegaram no hospital, estenderam a escada até o andar onde estava o garoto e 16 bombeiros subiram pela escada até o quarto de Billy. Com a permissão da mãe, eles o seguraram, abraçaram e falaram para ele o quanto eles o amavam. Com um sopro final, Billy olhou para o chefe e perguntou:

– Chefe, eu sou mesmo um bombeiro?

– Billy, você é um dos melhores. – Disse o chefe. Com estas palavras, Billy sorriu e fechou seus olhos pela última vez.

E você, diante do pedido de seus colegas de trabalho, de seus amigos, filhos e parentes, tem respondido “EU POSSO FAZER MAIS QUE ISSO!” ?

Autor Desconhecido.
(Está história é veridica).

Publicado em Artigos | 2 Comentários